Mochilão pela América do Sul – O Planejamento

O planejamento para o mochilão pela América do Sul foi um pouco complicado, eu precisava associar dois parâmetros essenciais: Lugares que quero passar X dias para viajar. Eu tinha apenas 20 dias de férias, e muitos lugares que queria passar.
Dividí o planejamento em alguns pontos para facilitar.

Que cidades conhecer, e quantos dias:

Comecei a conversar com amigos que já tinham viajado por esses lados, que lugares passaram, como fizeram para ir de um lugar para outro, quanto tempo ficaram em cada lugar, e decidi alguns pontos. Havia gostado bastante da viagem do Nesta, e pensei algo como a viagem dele (Bolívia, Perú, Argentina e Uruguay).
O problema, é que ele havia feito a viagem em 45 dias ,eu teria apenas 20 e não conseguiria fazer isso. Resolvi retirar Argentina e Uruguay(que é relativamente mais facil para ir), e conhecer mais a fundo a Bolívia e Perú. Os lugares que eu passaria seriam os seguintes:

  • Corumbá (MS), fronteira entre Brasil e Bolívia
  • Puerto Quijaro (Bolívia) – Trem da morte
  • Santa Cruz de la Sierra (Bolívia)
  • Sucre (Bolívia)
  • Potosí (Bolívia)
  • Uyuni (Bolívia) – Salar de Uyuni
  • La Paz (Bolívia)
  • Copacabana (Bolívia) – Isla del Sol
  • Puno (Peru)
  • Isla Flotante (Peru)
  • Cuzco (Peru)
  • Machu Picchu (Peru)

Definí quantos dias ficaria em cada cidade, quanto tempo demoraria de uma cidade para outra, o que fazer em cada cidade, e cheguei em 25 dias, 5 a mais do que tinha. Comecei a procurar algum feriado emendado para ser a data fim das férias para ganhar mais uns dias, e achei o feriado de Corpus Christi, que cairia em uma quinta-feira(23/06/2011), com isso, ganhei 3 dias, e conversei em meu trabalho e fiquei devendo 2 dias no banco de horas.
Para quem quiser conferir o cronograma dia a dia: Cronograma – Mochilão America do Sul – Jun/11.


Ver Mochilão America Latina em um mapa maior

Temperatura e o que levar na mala:

Pesquisei um pouco e descobri que não teria muita variação de temperatura durante a viagem (ainda bem, pois seria mais fácil para montar a mala.. #NOT), o ‘único’ problema, é que a temperatura seria sempre baixa, e eu iria passar frio (muito frio em alguns lugares). Junho é uma ótima época para viajar pela Bolívia, é o mês do ano que praticamente não chove, ainda não tem muitos turistas , porém, tem as menores temperaturas. Neste site da para ter uma idéia da temperatura, mas peguei temperaturas bem mais baixas que estas: http://www.colonialvoyage.com/america/pt/sul/bolivia/clima.html

Eu não tinha muitas roupas para frio(muito frio), fui para a Decatlhon, e com a ajuda da minha grande amiga Juliana, larguei uma grana lá, e comprei o que faltava. O que levei foi mais ou menos isso:

  • 3 calças jeans (poderia ter levado 2 que seria ótimo)
  • 1 bermuda tactel (para nadar nas piscinas de água quente)
  • 6 camisetas (4 estaria bom, pois você acaba comprando na viagem)
  • 1 calça e 1 blusa polar forclaz 50 da Quechua(este material é muito bom, pois não ocupa muito espaço e aquece bem)
  • 1 jaqueta arpenaz 500 da Quechua (Para aguentar o vento e o frio)
  • 5 pares de meias curtas
  • 2 pares de meias grandes de lã
  • 10 cuecas(tem lavanderias durante o caminho, não precisa levar uma pra cada dia)
  • 2 cantis de 1.5lt
  • 2 lanternas, uma de bolso e uma maior
  • 1 canivete
  • 1 toalha de alta absorção/
  • 1 kit de primeiros socorros
    • Aspirina
    • Berotec, atrovent e soro (eu tenho bronquite, e esqueci de levar a bombinha, me arrependi amargamente)
    • Band-aid
    • Mentiolate
    • Spray anti-septico
    • Imosec (Caso tivesse alguma diarréia)
    • Pastilhas de cloro para desinfetar a água, caso precise
    • Spray de cataflam
    • hidratante labial (importantíssimo!)
  • 1 chinelo
  • 1 bota Bull Terrier Fox Hunter
  • 1 mochila Crampon 68lt Trilhas e rumos
  • 1 saco de dormir

Levei também um caderninho de bolso para anotações, e um livro recomendadíssimo (Indicação do Nesta) que se chama “Guia Criativo para o Viajante Independente na América do Sul“, me ajudou muito, principalmente para saber o que fazer em cada cidade.

Dinheiro e passagens:

Fazer mochilão pela América do Sul é uma viagem bem barata, além das coisas não custarem muito caro, nossa moeda (R$) vale muito, na Bolívia por exemplo, eu cheguei a pagar 20 bolivianos (sim a moeda deles é conhecida como bolivianos) a diária do hostel com café da manhã, algo equivalente a 5 reais.

Para decidir quanto dinheiro levar, dei uma pesquisada antes no preço de pacotes para o Salar de Uyuni e Macchu Picchu(A trilha de 4 dias), que teoricamente poderiam ser os mais caros.
A pacote da Inca Jungle Trail (que na minha opnião, é mais legal que a trilha inca original), que incluía bike para o primeiro dia (que eram 60km), entrada em Machu Picchu, hospedagem para os 4 dias, comida e guia sairia por US$250.00 e o Salar de Uyuni, 3 dias, com jeep, comida, hospedagem e guia por (Pasmem!) US$100.00!!! Por este preço, aqui no Brasil você mal paga um rafting.

Fiz um pequeno calculo dos dias que ficaria, perguntei para alguns amigos o quanto gastaram, e achei que seria bom levar US$1000.00 (acabei gastando um pouco mais que isso). E comprei a passagem de São Paulo para Corumbá pela viação andorinha, que custou R$190,00 .

Mochila par a viagem para a América do Sul

A imagem esta horrível, mas é a unica que tenho da mala..rs

Enfim, depois de tudo separado, só preparar o psicológico e partir para a viagem!

No próximo post vou falar sobre Corumbá/MS, que acabei ficando um pouco a mais que o planejado, mas valeu muito a pena.

Abraços!

Mochilão pela América do Sul – Como tudo começou

A idéia para o mochilão pela America do Sul começou em 2006, fazia um ano e pouco que havia partido de Taubaté para ir morar em São Paulo, trabalhava na farmaceutica Novartis como desenvolvedor de sistemas ainda com aquela cabeçinha de menino do interior que foi pra capital. Até que conheci um doido que também era desenvolvedor lá.

O nome dele é Thiago Serra, um cara de Elias Fausto(onde?!), que também estava em SP para trabalhar. Ele era mais velho que eu, ja havia viajado um bocado e tinha umas histórias malucas sobre suas viagens, como pegar um voo para a Espanha levando uma bicicleta e fazer o caminho de Santiago de Compostela, subir o Pico de não sei onde, os carros antigos de Cuba (ainda vou pra lá!), e por ai vai.

Até que ele começou a fazer um curso de mecânica de motos (?!) e comentar sobre um “projeto”, ele contava que seu pai havia feito uma viagem de moto (se nao em engano, uma CG) de São Paulo até Aracaju no Sergipe, e que ele, como filho, deveria ir mais longe (tenho dó do filho dele..rs), e então criou o Projeto Nazca.

A idéia do Projeto Nazca era conhecer novas culturas, outros lugares e se conhecer melhor, afinal seriam 30 dias de viagem ele e a moto. O trajeto era sair de Elias Fausto(SP), cruzar os Andes, o deserto do Atacama e o Salar de Uyuni, chegando a Nazca e passando por Machu Picchu, depois voltaria pelo Paraguai.

Logotipo do Projeto Nazca

Logotipo do Projeto Nazca

Correu atras de patrocinio e não conseguiu praticamente nada, mas mesmo assim ele foi. De ultima hora apareceu mais um amigo dele que decidiu ir junto (meu sonho era ir junto, mas no momento nao dava), então ele criou um blog (que acompanhei cada post) para postar durante a viagem, e voltou depois de 30 dias.

Passávamos horas no trampo (ops) com o pessoal olhando as fotos e videos da viagem (inclusive tenho todas em minha maquina ainda) , ele contando o que passaram, tombos, frio, uma mulher q estava vindo do Ushuaia e iria até o Alasca com uma moto e seu cachorro, e por ai vai. Eu ficava fascinado com tudo isso, e coloquei em minha cabeça que faria isso também.

Foto Projeto Nazca Motos Cachorro

Olha o cachorrinho olhando para as montanhas...

Um tempo depois, como nao tinha uma moto, planejei fazer a Rota 66 ,onde eu alugaria uma moto e iria de Chicago até a California, falei com agencia de aluguel, tracei a rota, conversei com pessoas que fizeram, enfim, planejei tudinho, tinha a grana, mas aconteceu um imprevisto, tive que gastar a grana e acabou nao acontecendo(ainda me sinto frustrado por isso).

Passaram-se alguns anos, e no começo de 2011 um amigo volta de um mochilão, o Nesta, ele ficou 45 dias rodando a America do Sul, passou também pelo Salar de Uyuni, Machu Picchu, foi pra Argentina, Uruguai, etc. Lá ele conheceu a Juliana, que hoje é uma grande amiga, que fez uma viagem parecida também, e novamente todos contando as historias e dizendo que isso mudou muito a maneira deles pensarem.

As histórias deles fizeram voltar todo aquele sentimento de ficou parado por uns anos, e não tive escolha, mesmo sem a moto, comecei a planejar a viagem.

Um passo de cada vez, mas um salto quando é preciso.

Resolvi colocar a mão novamente neste note e voltar a escrever algo. Então vamos lá.
Sempre tive um espírito “aventureiro”, queria viajar, conhecer outros lugares, outras culturas, mas durante muitos anos fiquei aprisionado em minha vida, talvez por me dedicar a outras coisas não menos importantes como namoro, família, trabalho, etc.

Muitas coisas aconteceram na minha vida nestes últimos 2 anos (e muita coisa ainda vai acontecer). Acontece que eu decidi, vamos dizer, largar (quase) tudo e dedicar a mim mesmo. Isso resultou em viagens para Europa, mochilão para América do Sul, vários lugares no Brasil, entre outras coisas.

Durante estas viagens conheci muitas pessoas e fiz muitas amizades, pessoas que sem querer mudaram (e muito) a minha maneira de pensar e ver o mundo. Dentre elas, está o Alex, um françes que conheci no Salar de Uyuni (Bolivia), que decidiu dar uma volta ao mundo, isso mesmo, ele pegou barraca, mochila e uma câmera e viajou durante um ano (veja seu blog “Le tour du monde d’Alex“), o Jimmy Valencia, um DJ espanhol que viveu 10 anos em Londres e decidiu fazer um tour pela América Latina, tocando e aprendendo novos sons, o antropólogo Sebastian e o economista Pablo, dois colombianos que viajaram boa parte do mochilão comigo, a Juliana e o Nesta, dois amigassos, que também adoram colocar uma mochila nas costas, e por ai vai. Vou para por aqui, senão escrevo um livro só sobre as pessoas sensacionais que conheço.

Todas as pessoas que citei acima, e muitas outras, não menos importantes, que não deu para citar, me fizeram perceber que uma foto, uma sensação, ou até mesmo um sorriso ‘dourado’ de uma chola boliviana (rs) me faz mais feliz que um bom salário, um emprego, uma casa, etc.

Hoje, depois de quase 11 anos trabalhando com Web e desenvolvimento muitas vezes penso que segui o caminho errado, ou não, se não tivesse seguido este caminho talvez não chegaria neste ponto de poder pensar em seguir outra direção.

Enfim, este post foi, vamos dizer, um desabafo e uma seta indicando uma nova direção. Começarei a escrever mais sobre minhas viagens, o que vi, como fiz e o que aprendi, para quem sabe, ajudar outras pessoas que queiram seguir este meu caminho…

DiegoAlex - Puerto Quijaro - Bolivia

“… Hoje entendo bem meu pai. Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou tv. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”.
(“Mar sem fim”- Amyr Klink)

Capturar informações do Browser – C# – ASP.NET

No .Net existe o objeto HttpBrowserCapabilities , que é utilizado para capturar informações do browser.

private void Button1_Click(object sender, System.EventArgs e)
{
    System.Web.HttpBrowserCapabilities browser = Request.Browser;
    string s = "Browser Capabilities\n"
        + "Type = "                    + browser.Type + "\n"
        + "Name = "                    + browser.Browser + "\n"
        + "Version = "                 + browser.Version + "\n"
        + "Major Version = "           + browser.MajorVersion + "\n"
        + "Minor Version = "           + browser.MinorVersion + "\n"
        + "Platform = "                + browser.Platform + "\n"
        + "Is Beta = "                 + browser.Beta + "\n"
        + "Is Crawler = "              + browser.Crawler + "\n"
        + "Is AOL = "                  + browser.AOL + "\n"
        + "Is Win16 = "                + browser.Win16 + "\n"
        + "Is Win32 = "                + browser.Win32 + "\n"
        + "Supports Frames = "         + browser.Frames + "\n"
        + "Supports Tables = "         + browser.Tables + "\n"
        + "Supports Cookies = "        + browser.Cookies + "\n"
        + "Supports VBScript = "       + browser.VBScript + "\n"
        + "Supports JavaScript = "     +
            browser.EcmaScriptVersion.ToString() + "\n"
        + "Supports Java Applets = "   + browser.JavaApplets + "\n"
        + "Supports ActiveX Controls = " + browser.ActiveXControls
              + "\n"
        + "Supports JavaScript Version = " +
            browser["JavaScriptVersion"] + "\n";

    TextBox1.Text = s;
}

Profissões na Web – Palestra TecnoParty – UNITAU

Olá pessoal, aqui estou de volta ao meu abandonado blog..rs

Como prometido, está aqui a apresentação da minha palestra na Unitau no Evento TecnoParty.

Foram quase uma hora e meia falando para mais de 100 pessoas.. não sei como aguentaram.. =) Mas é isso ai.

Gostaria de agradecer a todos pela força, espero que tenha aberto a cabeça de vocês, para que todos não virem só programadores… (Principalmente Java… brincadeirinha..rs)

Atendendo a pedidos, segue abaixo alguns cursos e locais para estudo que recomendo:

Espero que tenham gostado da palestra, e comentem, é sempre bom ouvir o feedback de vocês =)

Abraços a todos e até a próxima!

Diego Alex

UaiSEO – O maior evento de SEO do Brasil

Aconteceu em Juiz de Fora – MG o UaiSEO, que foi até o momento o maior (e na minha opnião, o melhor) evento de SEO do Brasil.

A viagem foi um pouco cansativa mas bem divertida, foram quase 500km por este caminho (fizemos este cainho porque nos perdemos..rs), acompanhado por Ranieri, Oshiro e Ricardo, demoramos quase 11hs para chegar, só de estrada de terra foram umas 4 hs (isso que é vontade de ir para o UaiSEO.rs), passamos por montanhas mágicas, mas chegamos lá  :)

O evento contou com grandes palestrantes como Fabio Ricotta, Frank Marcel, Guanabara, Cassiano Travareli , Flavio Raimundo e Thiago Luz(doc).

Além das palestras (que foram muito boas), o intervalo entre uma e outra serviu para fazer muitos contatos e conhecer pessoalmente grandes nomes do Search , como Guga Alves e o Pelati, sem contar o resto do pessoal da agencia Orange Five (Juliano, Elvis, etc…)

Para quem perdeu, o próximo UaiSEO acontecerá em BH (ainda sem data definida), acompanhe pelo site do evento para ter mais informações.

Segue as palestras do Evento:

Gustavo Guanabara – CREO (Otimizando Pessoas)

Frank Marcel – Como Mostrar Resultados

Cassiano Travareli – SEO para Long Tails

Flávio Raimundo – Conversão na Interface do Google (proibido para menores)

Fábio Ricotta – Raio-X do Google Brasil

Parabéns a todos os organizadores do evento!

No próximo estarei lá tbm!!

Porquê o SPAM chama-se SPAM?

Todos já ouvimos falar sobre SPAM, aqueles e-mails chatos que enchem nossas caixas postais com assuntos do tipo “Enlarge your penis” , “Ganhe dinheiro trabalhando em casa”, e por ai vai.

Então, para quem não sabe SPAM é a abreviatura de Spiced Ham , que nada mais é que Presunto Temperado… isso mesmo, presunto, esse da fotinha abaixo.

Presunto Temperado SPAM

Presunto Temperado SPAM

Mas o que esse presunto tem a ver com os e-mails chatos que recebo?????

Tudo isso é culpa de um episódio do grupo de comédia inglês Monty Python, que foi exibido em 1970, onde um casal chega em um restaurante , e todos os pratos contém SPAM, ai comeca uma discussão pois a “senhora” nao quer SPAM, ai de repente todos começam a cantar uma música assim “LOVELY SPAM, WONDERFUL SPAM”…

Por causa deste episódio, as pessoas começaram a falar que tudo que era recebido em exesso era SPAM.

Veja o vídeo para entender melhor:

É isso ai pessoal, até a próxima!

Diego Spam Alex

Porque minha empresa tem que aparecer no Google?

Ao longo dos últimos anos, a internet vem tomando conta da vida de todos, fazendo com que as pessoas cada vez mais realize online muitas transações que eram realizadas no “offline”, como fazer compras, pagar contas , pesquisar preços, etc.

O Brasil, é o pais que tem o maior tempo medio mensal conectado na internet, em março deste ano, o IBOPE/NetRatings informou que o brasileiro passa em média 23h51, seguido pela França (21h30min), Estados Unidos (20h24min), Japão (20h21min) e Alemanha (19h09min), e segundo a pesquisa do CGI.BR(2008), 83% dos internautas usam a internet para a busca de informações, e para isso, os sites de Busca são fundamentais para essa busca, principalmente o Google, que é responsável por mais 95% das buscas no Brasil.

Um estudo da Júpiter Research anunciou que 62% dos usuários param na primeira página de uma busca, e esse numero vai para 90% até a terceira página.

Baseado nestas informações, podemos perceber que se uma empresa não aparece nos primeiros resultados das buscas, ela praticamente não existe não existe na internet.

Agora vocês devem estar se perguntando, mas como fazer para que minha empresa apareça nos primeiros resultados da busca? Qual a formula mágica???

Não existe nenhuma formula mágica, o que existe são empresas e profissionais especializados em SEM (Search Engine Marketing), que engloba todo um trabalho se SEO (Search Engine Optimization), links patrocinados, etc.

Estes profissionais utilizam técnicas combinam melhorias no HTML de suas páginas, campanhas de links patrocinados, cadastros em redes sociais, etc, assim, fazendo com que sua empresa fique melhor posicionada nas buscas, PODENDO até ficar entre os primeiros resultados.

Eu disse PODENDO, pois existem muitas pessoas e empresas no mercado que se vendem, dizendo garantir os primeiros resultados nas buscas, mas fiquem atentos com esse tipo de propaganda, pois essas pessoas utilizam técnicas para burlar os sistemas de buscas conhecidas como técnicas de Black Hat, estas técnicas são proibidas pelos sistemas de busca e quando descoberta, o site é punido podendo até ficar fora das buscas por algum tempo, que pode ser um prejuizo muito grande para muitas empresas.

Acho que já deu para entender porque uma empresa deve estar no Google !

Abraços e até a próxima.

Diego Alexandre

Este post também é encontrado no blog http://hipermidiaunicid.blogspot.com/.

Social Media, a maior mudança desde a Revolução Industrial

Ao longo dos ultimos anos, a Social Media vem dominando o mundo, criando uma nova forma de pensar e agir nas pessoas.

Atualmente estamos vivendo uma nova revolução, onde uma boa idéia pode ganhar proporção imensa em pouco tempo, o Twitter foi criado em 2006 e se pegarmos somente os numero seguidores do Ashton Kutcher e da Ellen Degeneres, já é maior que toda a população da Irlanda, Noruega e Panamá .

O facebook, em 9 meses conseguir mais de 100 milhões usuarios, no Youtube existem mais de 100 milhoes de vídeos , na Wikipédia são mais de 13 milhões de artigos, e não fica por ai, o vídeo abaixo ilustra bem o que quero dizer.

O mercado nacional precisa abrir os olhos para participar deste movimento, que não é nenhuma modinha, a ultima pesquisa da CGI.BR mostra que no Brasil, 90% dos internautas utilizam a internet para se comunicar, e 69% dizem participar de redes sociais.

Esse número é bem alto perto de muitos outros países, e mostra o potencial que o Brasil tem para o investimento nesse meio.

Até a o próximo post :)